O cão em peregrinação: informações e conselhos para o bem estar do cão

A caminho com o cachorro no Caminho de Francisco

O especial afeto do Santo de Assis aos animais incentiva a caminhar na companhia de seu cachorro

O caminho: o bem-estar do cachorro

Fazer um percurso tão longo com o seu cachorro requer alguns pequenos preparativos para assegurar a você a ao seu amigo peludo um “bom caminho”.
Pode encontrar na internet muitas dicas úteis; aqui estão algumas sugestões escritas em colaboração com a Associação “Amigo Peludo” em Perugia, que há anos está empenhada em salvaguardar o bem-estar dos animais.

Antes de partir

  • Certifique-se que seu cachorro tenha todas as vacinas necessárias e a profilaxia necessária para pulgas e carrapatos. Leve a cópia do seu cartão de saúde;
  • Certifique-se que seu amigo peludo tenha a medalha com o nome;
  • Certifique-se da saúde do seu cachorro e “treine-o” antes de partir: um cachorro acostumado a viver em apartamento e que apenas faz diariamente o caminho casa-parque poderá ficar afetado por um longo caminho, contínuo e em condições variáveis;
  • Module as etapas, tendo em vista as possibilidades de seu cachorro: depende de seu treinamento, tamanho, temperatura ambiente, etc.
  • Certifique-se de colocar em sua mochila uma tigela para água e outra para comida. Lembre-se da focinheira, mesmo de nylon, é exigido por lei;
  • Peça conselho ao seu veterinário sobre um pequeno kit de primeiros socorros para seu amigo.

Ao longo do caminho

  • A primeira atenção é a hidratação: leve sempre uma garrafa de água apenas para o cachorro (pelo menos um litro e meio) nos meses mais quentes deve ter sempre água suficiente disponível;
  • Evite caminhar nos meses e durante as horas mais quentes: mantenha sempre o cachorro fresco para evitar a insolação, aproveitando fontes e riachos para refrescar o corpo e as patas;
  • Caminhar muito, especialmente no asfalto, pode causar a longo prazo problemas nas patas: o veterinário pode indicar produtos específicos para endurecer os coxins sob as patas. Muitos acham que ataduras e meias sejam úteis;
  • Ao longo do Caminho há centros habitados, pode fazer abastecimento alimentar e, em caso de dúvida, fazer um pequeno check-up ao seu amigo em um veterinário;
  • Antes da partida serve apenas um lanche leve, para não pesar o cachorro: a refeição principal deve ser reservada à chegada. Tente manter seus hábitos alimentares; 
  • Com uma trela, sempre! Se você ver que não há riscos pode deixar o seu cachorro livre, mas certifique-se que quando o chama ele esteja habituado a voltar para você: os bosques estão cheios de aromas e cheiros e seguindo uma pista ele pode se afastar;
  • Em alguns pontos do percurso foram sinalizados cachorros grandes de pastor: eles têm a tarefa de proteger os rebanhos, portanto, só deve andar devagar e manter-se à distância, sempre com o seu cachorro à trela.

Dormir com o cachorro

Como no Caminho de Santiago, também no Caminho de Francisco, pelo menos por agora, é pouco provável que o acolhimento "pobre" aceite cães nos dormitórios. Provavelmente será pedido para dormirem fora e amarrados.
Antes de partir, portanto, deve se certificar que o cão esteja acostumado a estar fora sozinho, caso contrário, poderá ladrar durante toda a noite e causar desconforto ao dono e aos outros peregrinos.
Tente perguntar se aceitam animais sem pagar nada, mas lembre-se de telefonar alguns dias antes.
Muitos que percorrem os caminhos com o cão, viajam com tendas muito leves, pedindo um espaço nas estruturas para posicioná-las.
Graças à sensibilidade e ao empenho de alguns consórcios e de muitas estruturas hoteleiras, foram identificados acolhimentos especializados para peregrinos que aceitam animais de estimação.
Para saber mais, visite o site www.umbriatourism.it

Regras simples antes de reservar

  • Verifique sempre com antecedência com o proprietário da estrutura hoteleira as condições para a admissão de cachorros (taxa adicional, o depósito, as limitações do tamanho do cão, possibilidade de deixar os cães sozinhos no quarto, possibilidade de acesso ao restaurante, etc.);
  • Avalie cuidadosamente a possibilidade de fazer seguro ao cachorro para os danos que pode causar no hotel;
  • Tente respeitar também durante a viagem, os ritmos e tempos pelos quais o seu cão está acostumado em casa: estar em um novo local a cada noite, para ele, não é uma mudança muito fácil;
  • Se o seu cão tiver uma coberta, um travesseiro ou jogos que ele está acostumado, pode levá-los consigo: isso vai ajudá-lo a se familiarizar com a nova acomodação;
  • Torne-se um “embaixador” de todos aqueles que viajam com o seu amigo de quatro patas! Com seu comportamento, terá a oportunidade de convencer os outros da beleza de compartilhar o mundo e os caminhos com nossos amigos animais;
  • Ajude-nos a espalhar a cultura de acolhimento e respeito para com os animais.

O espaço equipado em Assis

Graças à colaboração do Convento Sagrado e do Fondo Ambiente Italiano, desde março de 2014, ao lado da Basílica de São Francisco, na entrada do Bosque gerido pelo FAI, há uma área equipada para a hospitalidade de cachorros.
Mostrando a credencial e deixando um documento, o seu amigo de quatro patas vai desfrutar a 90' de um leito confortável, à sombra de árvores antigas da “floresta” de São Francisco.
O peregrino pode então efetuar com calma todas as suas devoções no túmulo do Pobrezinho.
Traga o seu cão em peregrinação: dicas e informações
O bem-estar do cão em peregrinação com seu dono
Garante o seu cão uma boa viagem ao longo da Via Francesco
Gatos em Via Francesco. Para ir em peregrinação com seu animal de estimação

Diferentes são as formas que acolhem os que caminham

  • cammino di francesco unione europea
  • cammino di francesco repubblica italiana
  • cammino di francesco regione umbria
  • la via di francesco cammini europa
logo-footer.png
©2017 La Via di Francesco | SVILUPPUMBRIA | PI 00267120541 | Privacy & Cookie Policy | Credits
Web Agency: Graficherò - Login
This site uses cookies including third-party. The prosecution in the navigation involves the acceptance of cookies.